Pesquisar no blog

quinta-feira, 2 de agosto de 2018

Fenômeno natural ou ação demoníaca? (VÍDEO)

ESTRANHO REDEMOINHO DE POEIRA SURGE ANTES DE CRUZADA EVANGELÍSTICA E FENÔMENO É GRAVADO EM VÍDEO

Não há muitas informações sobre o vídeo a seguir. Diz-se que se trata de uma cruzada evangelística em um país africano. Momentos antes, este estranhíssimo redemoinho surge e espalha praticamente todas as cadeiras do evento. Assiste e tire suas próprias conclusões.

terça-feira, 31 de julho de 2018

Tráfico no Rio de Janeiro: o aumento da violência e a herança maldita da era PT

O NOVO PERFIL DO TRÁFICO NO RIO DE JANEIRO: TRAFICANTES CADA VEZ MAIS JOVENS, MAIS VIOLENTOS E NADA DE RESOLUÇÃO NO HORIZONTE

A Polícia Civil do Rio prendeu em 2017 Alberto Ribeiro Sant'anna, o Cachorrão, apontado como um dos líderes do tráfico de drogas na Rocinha

Esse é o perfil histórico dos adolescentes e jovens inseridos na rede do tráfico de drogas no varejo no Rio de Janeiro. Algumas características, no entanto, parecem ter mudado recentemente, de acordo com um estudo divulgado nesta terça-feira.
Aumentou, por exemplo, o número dos que entraram para o tráfico antes dos 12 anos de idade e também dos que se dizem evangélicos. Além disso, os traficantes parecem ter um comportamento mais "família" do que há dez anos.
Essas são algumas das conclusões de uma pesquisa realizada pela ONG Observatório de Favelas, sediada no Complexo da Maré, conjunto de favelas no Rio. O estudo traça o perfil e as práticas de jovens inseridos na rede do tráfico de drogas no varejo e sugere caminhos para a construção de políticas e ações públicas.
A ONG havia feito um levantamento similar entre 2004 e 2006, o que permitiu uma comparação de resultados em alguns pontos.
"Nos últimos dez anos, vivemos intervenções significativas na segurança pública no Rio, como a experiência da política de UPP (Unidade de Polícia Pacificadora). Queríamos saber como elas tinham impactado no perfil e nas práticas das redes criminosas", diz Raquel Willadino, uma das coordenadoras do estudo.

Desigualdade de sempre

Foram entrevistados 150 jovens inseridos na rede do tráfico de drogas no varejo em favelas do Rio e 111 adolescentes no Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase).
A UPP não impactou no perfil dos "funcionários" do tráfico. "O que observamos foi uma reiteração de desigualdades que tínhamos identificado antes", diz Willadino.
A maior parte dos ouvidos (62,8%) tinha entre 16 e 24 anos, se identificava como preta e parda (72%). As mães foram majoritariamente citadas como responsáveis pela criação dos entrevistados (50,2%).
Também segue sendo verdade que os jovens deixam a escola na mesma faixa de idade em que entram para o tráfico. "Isso mostra que temos uma escola que não atrai o jovem, o que é fundamental para pensar estratégias preventivas", diz a pesquisadora.
Além disso, diz o estudo, a maior parte teve outros trabalhos antes de entrar para o tráfico. "O que importa é muito mais a precariedade do tipo de trabalho ao qual tiveram acesso", observa Willadino.

Criança e traficante

Um número maior de entrevistados disse ter entrado para o tráfico antes de fazer 12 anos: passou de 6,5% em 2006 para 13% em 2017. Não estava no escopo da pesquisa tentar explicar o porquê, mas isso chamou a atenção dos entrevistados.
A maior parte, no entanto, ainda entra para o tráfico entre os 13 e os 15 anos.
"Esses resultados reforçam a relevância do desenvolvimento de políticas preventivas voltadas para a infância e a adolescência e de iniciativas que levem em conta vulnerabilidades do contexto familiar", diz Willadino.
"Isso não quer dizer que a raiz do problema esteja na família. Observe que 55% das famílias não têm nenhum membro em atividades ilícitas, mas tampouco se pode ignorar", diz a pesquisadora.
Fonte: BBC

Ciro: a sombra do atraso ronda o Planalto

Ciro não apresentou projeto e faltou a quase metade do mandato na Câmara


Ciro Gomes Marcelo Camargo/ABr

Candidato pela terceira vez à Presidência da República, o ex-governador Ciro Gomes (PDT) é um crítico feroz do Congresso Nacional. Mas, para cumprir as promessas que faz como presidenciável, terá de ser mais efetivo do que foi em sua única passagem pela Câmara, entre 2007 e 2011. Nos quatro anos em que foi deputado federal pelo PSB, Ciro não apresentou um único projeto de lei ou proposta de emenda constitucional. Faltou a quase metade das sessões em plenário e praticamente ignorou as reuniões das comissões.
O então deputado teve, ainda, seu nome associado duas vezes à chamada farra das passagens, esquema revelado pelo Congresso em Foco de uso irregular de verba pública para custear voos de parlamentares, familiares e amigos para o Brasil e o exterior.
No período em que foi deputado, Ciro registrou presença em apenas 224 (54,4%) dos 412 dias com sessões destinadas a votação. Ele justificou 147 ausências (35,7%), mas deixou 41 (10%) sem qualquer esclarecimento. Ao abonar as faltas, o agora pedetista se livrou de desconto no salário. Mesmo assim, ficou entre os dez parlamentares mais faltosos daquela legislatura.
Farra das passagensEm quatro anos, Ciro integrou duas comissões permanentes, só uma como titular, a de Constituição e Justiça (CCJ). Também atuou em três colegiados especiais e um grupo de trabalho. Mais faltou do que compareceu. Registrou presença em 111 reuniões (27,8%) e acumulou 275 faltas não justificadas (68,9%). Apresentou apenas três pedidos para faltar. A presença nas comissões não é obrigatória e não acarreta desconto no salário. Os dados sobre a atuação parlamentar dos deputados estão disponíveis no site da Câmara.
Em 22 de abril de 2009, Ciro insultou o Ministério Público ao reagir a uma reportagem do Congresso em Foco na qual era citado por usar passagens para levar a mãe aos Estados Unidos. O deputado negou que sua mãe tivesse utilizado passagens da sua cota aérea para ir a Nova York. "Ministério Público é o caralho! Não tenho medo de ninguém. Da imprensa, de deputados. Pode escrever o caralho aí", gritou diante de repórteres em plenário. "Até ontem era tudo [o uso de passagens] lícito, então por que mudou? É um bando de babacas", emendou.
Dias depois, a pedido de Ciro, a TAM, empresa pela qual o político e sua mãe viajaram, disse que inverteu documentos do então deputado, o que fez a Câmara pagar um voo da mãe do parlamentar para Nova York. A passagem dele, em vez de sair da cota da Câmara, foi bancada com o dinheiro da família, alegou a companhia.
Em 1º de junho daquele ano, o Congresso em Foco revelou que a Câmara pagou, a pedido de Ciro, passagens de ida e volta, entre Brasília e Fortaleza, ao chefe de cozinha alemão Bernard Twardy e dois acompanhantes em junho de 2007.
Radicado no Ceará, Bernard Twardy disse na época que esteve na capital federal para prestar um serviço ao deputado por meio de sua empresa, a Gourmet Ideias e Soluções. O chefe de cozinha, autor de um livro de culinária que tem um depoimento do ex-ministro, não detalhou o tipo de serviço prestado.
Na ocasião, por meio de sua assessoria de imprensa, Ciro afirmou que suas ações estavam de acordo com as normas em vigor na Câmara. “O deputado Ciro Gomes informa que todos os procedimentos de seu gabinete estão em conformidade com as normas vigentes da Câmara dos Deputados. Nenhuma ação praticada pelo gabinete feriu o regimento interno da Casa”, afirmou. Ciro preferiu não detalhar o motivo da viagem dos três passageiros que voaram na cota parlamentar.
A presença do deputado, do chefe de cozinha e da mulher dele foi destacada na coluna Balada Vip, do jornal O Povo, da capital cearense. "Numa noite de altíssimo astral, Arialdo Pinho recebia os cumprimentos de Fernanda Zeballos, Bernard Twardy e de Ciro Gomes. O chef do Beach Park contava que está lançando o livro Cozinha Tropical Cearense, com 30 receitas feitas com produtos genuinamente cearenses. Uma delas será dedicada a Ciro Gomes. Agora é só fechar o patrocínio para ir pro forno!".
Mais de 440 parlamentares, inclusive Ciro, foram denunciados em 2016 pelo Ministério Público Federal por uso indevido da cota parlamentar. A verba, cujo valor variava de estado para estado, era prevista para cobrir o deslocamento de deputados e senadores entre sua base eleitoral e Brasília. Mas, como revelou o Congresso em Foco, era utilizada para viagens de lazer por políticos, familiares, amigos e até artistas. Depois do escândalo, que atingiu praticamente toda a Câmara, a Casa endureceu as regras e proibiu expressamente o uso por terceiros da cota parlamentar.
Atuação parlamentar
Na Câmara, Ciro foi vice-líder de bloco parlamentar e não relatou qualquer proposta de repercussão. Das 24 que relatou, apenas uma virou lei (12.529/2011). De autoria do deputado Carlos Eduardo Cadoca (SD-PE), incluiu novas práticas comerciais como infração à ordem econômica e alterou critérios para notificação sobre ato de concentração no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Recebeu parecer favorável do pedetista. Outras 12 proposições relatadas por ele viraram decreto legislativo, a quase totalidade era de renovação ou concessão de outorgas de rádio e TV. As 11 restantes seguem em tramitação ou foram arquivadas.
Integrante da base do presidente Lula, Ciro defendeu a transposição do Rio São Francisco, a prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) e as ações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), temas de interesse do governo petista à época.
Além de titular da CCJ, Ciro foi suplente na Comissão de Finanças e Tributação (CFT). Também passou pelas comissões especiais sobre a crise econômico-financeira em 2009, sobre a exploração e produção do pré-sal e sobre a Lei da Defesa da Concorrência e do grupo de trabalho sobre a consolidação da legislação brasileira.
Quando deputado, licenciou-se do mandato duas vezes, uma para tratamento de saúde por três dias em 2009 e outra para “tratar de interesse particular”, em que ficou ausente por 31 dias em 2010, sem convocação de suplente, segundo o portal da Câmara.
Terceira tentativa
Ciro foi oficializado como candidato pelo PDT na última sexta-feira (20). É a terceira vez que ele participa da corrida ao Palácio do Planalto. Ele também concorreu em 1998 e 2002. O presidenciável foi eleito deputado federal em 2007 pelo PSB do Ceará com a maior votação proporcional do país naquele ano, com 667.830 votos (16,19%) e a segunda maior votação em números absolutos.
Na política, também foi deputado estadual do Ceará, prefeito de Fortaleza, ministro da Fazenda no governo Itamar Franco, governador do Ceará e ministro da Integração Nacional no primeiro governo Lula. Antes de chegar ao PDT, foi filiado ao PDS (Partido Democrático Social), que sucedeu a Arena depois da ditadura militar, ao PMDB, ao PSDB, ao PPS, ao PSB e ao Pros.
Procurado, o candidato não respondeu aos pedidos de comentário da reportagem.

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Evento de Apologética em Olinda, com as participações dos prof. Artur Eduardo e André Holanda

INSTITUTO ALIANÇA PROMOVE EVENTO DE APOLOGÉTICA EM OLINDA (PERNAMBUCO)

Os professores, dr. André Holanda (UNICAP) e o dr. Artur Eduardo (IALTH) estarão ministrando um curso intitulado "Iniciação à Apologética Cristã", no auditório da Livraria Luz e Vida, no novo Patteo Shopping, em Olinda. O curso está marcado para o dia 4 de Agosto, das 09:00 às 16:00. Momento importantíssimo para os que se interessam por Apologética, Teologia e Filosofia da Religião. Para mais informações, veja o cartaz abaixo:


Avanço da agenda LGBT na Educação Pública brasileira

UNIVERSIDADE BRASILEIRA TERÁ COTAS PARA TRANSEXUAIS, TRAVESTIS E TRANSGÊNEROS

Universidade do Estado da Bahia

A Universidade do Estado da Bahia (Uneb) passará a adotar um sistema de cotas para estudantes transgêneros na graduação e pós-graduação. A partir de 2019, os processos seletivos da instituição para cursos de graduação e pós-graduação contemplarão com 5% de vagas para cada grupo. Assim, haverá cotas para transexuais, travestis e transgêneros, além de quilombolas, ciganos e portadores de deficiência, transtorno do espectro autista e altas habilidades.
“Pioneira na implantação de sistema de cotas étnico-raciais entre as instituições da região Nordeste, a UNEB dá mais um importante passo na consolidação de sua política de ações afirmativas”, justificou a universidade em nota oficial.
Atualmente, a UNEB destina 40% das bolsas para candidatos pretos e pardos e 5% para indígenas. A instituição ressalta que “Por se tratar de sobrevagas (vagas adicionais), as novas cotas não alteram o percentual de 60% do total de vagas que é destinado atualmente a candidatos não-cotistas”.
Essa ampliação do sistema de cotas para “grupos discriminados”, foi uma decisão unânime do Conselho Universitário da UNEB.
Fonte: Gospel Prime

sexta-feira, 20 de julho de 2018

Por essa a Globo não esperava (VÍDEO)!!

O TRECHO DA ENTREVISTA QUE FOI CORTADO DA REPORTAGEM DA GLOBO NO "PROFISSÃO REPÓRTER"

Há alguns meses, a rede Globo iniciou uma campanha contra blogs independentes de direita no Brasil. O alvo principal era o Ceticismo Político, de Luciano Ayan, que reproduziu informações da Folha de São Paulo e do próprio O GLOBO. A Globo acusava o blogueiro de "Fake News". Meses mais tarde, a mesma emissora volta a falar de Luciano Ayan, desta vez com o profissão repórter. Carlos Afonso, responsável pelo pseudônimo, gravou a entrevista inteira e destruiu a Rede Globo e suas mentiras.

É não ou é?

MINISTRO DO STF, GILMAR MENDES, QUER PUNIÇÃO CONTRA PROMOTOR QUE O CHAMOU DE "MAIOR LAXANTE DO BRASIL"

O ministro do STF Gilmar Mendesministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), apresentou queixa-crime contra o promotor Fernando Krebs, do Ministério Público Estadual de Goiás. Em junho, ele disse que o magistrado era “o maior laxante do Brasil”, referindo-se aos habeas corpus que Mendes concede.

QUALIDADE

O ministro pede que Krebs seja condenado por injúria e difamação qualificada, cuja pena chega a dois anos de prisão, com afastamento do cargo. O CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) já apura se o promotor cometeu infração disciplinar.

OUTRO LADO 

Krebs não foi encontrado até o fechamento da coluna para comentar.
Leia a coluna completa aqui.

Ofertas Exclusivas!!!!