Pesquisar no blog

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Os evolucionistas apresentam suas ´evidências mais contundentes´ e recebem a devida resposta de vários apologetas!! (VÍDEOS)

UMA DAS ´EVIDÊNCIAS MAIS CONTUNDENTES´ A FAVOR DO EVOLUCIONISMO E VÁRIOS FATOS ACERCA DESTE (QUE, TALVEZ, VOCÊ NÃO SOUBESSE, CARO LEITOR) SÃO ORGANIZADOS POR ESTE BLOG!!!




Para começar: Os modelos artísticos presentes na imagem anterior representam duas concepções realizadas a partir do mesmo crânio de Neandertal, descoberto em La Chapelle-aux-Saints, em França. A 1ª representação é uma concepção mais moderna do homem de Neandertal, depois de se descobrir que ele foi mais humano do que ao início se pensava. A 2ª representação é uma concepção que remonta a finais do século XIX, quando se afirmava que o homem de Neandertal era um ancestral primitivo do ser humano. Observe como o mesmo crânio deu origem a representações tão díspares.

O vídeo a seguir é parte de documentário pró-evolucionista do famoso caso que dividiu a cidade de Dover, Pennsilvania (EUA). Peguei o excerto exato que mostra a mais contundente ´evidência´ genética dos evolucionistas, o que trouxe enorme fervor e acentuou mais aindas as disparidades entre o pensamento anti e pró design inteligente. Muitos evolucionistas e anti-Criacionistas viram aqui uma ´luz´ que deveria fazer afundar totalmente a ´heresia científica´do design inteligente. Outros, viram erroneamente a prova de que o evolucionismo é fundamentalmente ateísta, o que se mostrou falacioso neste caso e em muitos outros. A dificuldade de se manter a discussão no âmbito científico tem atrapalhado, vez ou outra, os que apóiam a idéia do design inteligente, a tal ponto que muitas vezes confunde-se esta idéia científica alternativa à teoria da evolução como ´religiosa´, o que de fato NÃO é verdade. "Há implicações metafísicas, sem dúvida, na concepção do design inteligente, mas e daí?" Bem, o fato é que um erro não justifica o outro.


O referido documentário se intitula "Dia do Julgamento - Design Inteligente em Julgamento", com uma abordagem irônica do design inteligente e tratando minimalisticamente um triste episódio de divisão que ocorreu na cidade de Dover. O que o documentário não mostra é a intolerância no meio acadêmico em relação a qualquer questionamento contrário a teoria da evolução, conforme denunciado no recente (e ainda não traduzido) documentário "Expelled: No Intelligence Alowed". De qualquer maneira, a ´evidência´ apresentada no referido excerto é considerada como ´uma das provas mais contundentes´ que os evolucionistas têm acerca da teoria da evolução. Bem, nas próximas linhas e vídeos há fatos que farão, penso eu, o mais ardoroso cético do Criacionismo ao menos olhar com outros olhos algumas ´evidências´ evolucionistas (como a ´surpreendente´ que aparece neste vídeo) e suas própria convições.

A sequência de vídeos a seguir faz parte do documentário "Um Caso Para Um Criador", do jornalista, mestre em Direito e ex-ateu Lee Strobel. Atuou durante treze anos como jornalista do Chicago Tribune (do qual foi editor-chefe) e em outros jornais americanos, conquistando vários prêmios ao longo da carreira. Até 1981 era ateu. Escreveu vários livros, entre os quais Inteligência espiritual e Em defesa de Cristo


Parte 1 - Introdução


Parte 2 - A Evidência Negativa


Parte 3 - A Evidência da Cosmologia


Parte 4 - A Evidência da Física


Parte 5 - A Evidência das Máquinas Biológicas


Parte 6 - A Evidência da Informação Biológica


Parte 7 - Conclusão

A hipótese da evolução tem propagado o mito de que o ser humano e o macaco apresentam uma diferença a nível genético de apenas 1%. Esta “evidência” era informação que nunca faltava (e ainda não falta) nos livros de Biologia. A verdade é que esta suposta evidência tem sido desfeita através de vários estudos. No entanto, os evolucionistas menos informados continuam a usar esta aparente diferença genética de 1% para sustentar a crença de que o homem e o macaco partilham o mesmo ancestral. O livro Evolução e criacionismo: uma relação impossível, publicado em 2006, para além de ainda citar o Archaeopteryx como prova de evolução, também diz que a diferença genética entre nós e o macaco é de 2%.

A semelhança anatômica, de fato, não é algo extraordinário?... Err, não... não é!

Num artigo recente na revista científica Science são citados alguns evolucionistas que dizem que a afirmação de que o ser humano e o macaco têm uma similaridade genética de 99% está errada. Outros estudos revelam mais conclusões curiosas:
- Em 2003, cientistas calcularam uma diferença de 13,3% nos nossos sistemas imunitários (uma similaridade genética de 86,7%, por outras palavras);
- Em 2006, um estudo da duplicação de genes em humanos e em macacos revelou uma diferença de 6,4% e que o genoma do chimpanzé é 12% maior do que o genoma humano.

Para além disto tudo, a diferença mais importante consiste na capacidade cognitiva e racional do ser humano, que o torna único na criação de Deus. Evolucionistas insatisfeitos com esta afirmação poderão agora mostrar-me vídeos de macacos a realizarem, com sucesso, testes de memória ou outras habilidades.... esquecem-se de dizer que para o macaco fazer certas habilidades precisou de alguém que gastasse tempo a ensinar o seu mecanismo. E apesar de tudo, o macaco não é o único a fazer habilidades. Basta ir ao circo para ver o que os animais amestrados são capazes de fazer.


´Similaridade Genética´, ok, mas você sabia....?
Os seres humanos e os chimpanzés deveriam ser reunidos na mesma classificação – o gênero Homo. Pelo menos é o que alegam pesquisadores em recente nota publicada nos Proceedings of the National Academy of Sciences, nos Estados Unidos da América do Norte.

Os pesquisadores fundamentam sua alegação em descobertas suas de que os chimpanzés têm mais em comum com os seres humanos do que com qualquer outro primata – supostamente partilhando 99,4% de seu DNA. A agência de notícias Associated Press (AP) incumbiu-se de elaborar a notícia e divulgá-la.

Esta é uma alegação surpreendente, especialmente porque a tendência entre os cientistas evolucionistas tem sido de diminuir aquele percentual de similaridade, de cerca de 98,5% para 95% (ver por exemplo Greater than 98% Chimp/human DNA similarity? Not any more). Então, por que esse súbito aumento? De acordo com o relato da AP, a equipe de pesquisadores, dirigida por Morris Goodman, na Faculdade de Medicina da Wayne State University (em Detroit, Michigan), "comparou 97 genes de seres humanos, chimpanzés, gorilas, orangotangos, macacos do Velho Mundo, e camundongos". Os pesquisadores descobriram que os genes de chimpanzés e bonobos (gênero Pan) têm mais em comum com os genes humanos do que com os de quaisquer outros primatas. Dificilmente esses dados seriam suficientes para sustentar uma conclusão tão radical. Os pesquisadores compararam 97 genes, porém o genoma humano (que foi mapeado em sua totalidade apenas de uma maneira muito "geral") tem pelo menos 30.000 genes – portanto eles compararam apenas 0,03% do total! Além disso, os genomas dos primatas não foram nem sequer mapeados de maneira aproximada. Assim, qualquer tentativa de comparar o DNA total atualmente é apenas uma conjectura!.


Fontes: SCB, A Lógica do Sabino

Em Cristo Jesus,
Pr. Artur Eduardo

Um comentário:

Rogerio disse...

Parabéns por compartilhar tal informação. Infelizmente não somos tão organizados quantos estes ateus ou outra corrente enbrutecedora de homens, Seria bom ver isso publicado em alguma revista ou jornal evangélico ou até católico, isto se ainda não fora postado. Deus te abençoe Artur

Ofertas Exclusivas!!!!