Pesquisar no blog

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Uma nova mas conhecida ameaça...

RÚSSIA QUADRUPLICARÁ ARSENAL NECLEAR DO PAÍS




A Rússia lançou um novo desafio ao presidente eleito dos EUA, Barack Obama, ao anunciar nesta semana um plano de aumentar a produção de mísseis nucleares estratégicos. Na última de uma série de medidas belicosas do Kremlin, Vladislav Putilin, da comissão militar-industrial do Gabinete russo, disse que as forças do país encomendariam 70 mísseis estratégicos nos próximos três anos, como parte de um programa maciço de rearmamento que incluirá também mísseis de curto alcance, 300 tanques, 14 navios de guerra e 50 aviões.

Especialistas em assuntos militares disseram que o novo arsenal consistiria presumivelmente de mísseis balísticos intercontinentais com base terrestre (ICBMs), em vez de mísseis lançados de submarinos. Se isso se confirmar, os planos representam um aumento de quatro vezes na taxa de posicionamento desses mísseis intercontinentais. O arsenal incluirá um míssil de ogivas múltiplas de nova geração RS-24. Ele foi testado pela primeira vez em 2007, quando o vice-primeiro-ministro Serguei Ivanov alardeou que ele era "capaz de vencer qualquer sistema de defesa de mísseis existente ou futuro".

Os novos mísseis farão parte de um pacote de Defesa de US$ 140 bilhões para o período de 2009 a 2011, um aumento de 28% em gastos com armamentos, segundo Putilin. Também estão previstos novos aumentos nos dois anos seguintes.

As novas aquisições militares ocorrem na esteira da guerra na Geórgia, em agosto. A Rússia expulsou facilmente as tropas georgianas, mas o conflito expôs fraquezas no Exército do país, incluindo equipamentos obsoletos e estruturas de comando mal coordenadas. O Ministério da Defesa declarou que faria reformas drásticas, transformando o Exército numa força mais moderna.

Na segunda-feira, o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, instou membros do gabinete a alocar rapidamente fundos para novas armas e controlar de perto a qualidade e o ritmo de sua produção. Especialistas militares disseram que a construção de 70 mísseis nucleares de longo alcance nos próximos três anos representa uma tentativa russa de fortalecer sua posição de barganha com Washington nas negociações sobre novas reduções de armas nucleares quando o tratado em vigor, Start I, expirar em dezembro do próximo ano.

Para ler o restante da notícia, clique AQUI.


NOTA: Esta é a nação ´paraíso´ da sociedade ´igualitária´ que é tão defendida por alguns. Esquercem-se, contudo, de quem foi (e ao que tudo indica, ainda ´quer ser´) a Rússia. A Rússia, que impôs sua hegemonia política com a força das armas e da opressão; que matou (milhões), escravizou e manteve o mundo sob a névoa de uma "guerra-fria", com países ´presos´ sob o seu domínio através de uma linha geopolítica imaginária, chamada ´cortina de ferro´. Este poder quer ressurgir, só que os tempos são outros. Havia a cicatriz da 2ª Grande Guerra quando se iniciou a guerra fria. Agora, passadas décadas da 2ª Grande Guerra, temo que o mundo esteja muito mais minimalista e, portanto, menos ´paciente´ no que se refira a esperar décadas por alertas de uma guerra que parece sem fim.

Em Cristo Jesus,
Pr. Artur Eduardo

Um comentário:

Alesson disse...

no mínimo assustador... espero que o Senhor nos leve antes que cheguem a usar essas armas...

Ofertas Exclusivas!!!!