Pesquisar no blog

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Outra pataquada da ´Veja´

PROFESSOR DO MACKENZIE RESPONDE DISTORÇÕES FEITAS NA COLUNA DE ANDRÉ PETRY, DA ´VEJA´, CONTRA O CRIACIONISMO ACADÊMICO




OBS.: O texto abaixo provém de um e-mail de Solano Portela enviado à redação da revista ´Veja´, citado com permissão no blog ´Criacionismo´. Como está aberto ao público, publicamos também em nosso blog


Fui citado na coluna do Sr. André Petry (“Lembra-te de Darwin”, nº 2.098) por ter a educação de atendê-lo em um telefonema na sexta, 30.01.2009. O Sr. Petry é conhecido por sua aversão aos evangélicos (vide VEJA nº 2.083, de 22.10.2008) e não perde a oportunidade de atacar mais uma vez a liberdade de expressão, distorcendo fatos nesse artigo. Mesmo sabendo da possibilidade que nada de objetivo e veraz iria vir de seus escritos, esclareci que o os Colégios Mackenzie ensinavam, sim, criacionismo, em paralelo ao evolucionismo e não acreditam em sonegar quaisquer ângulos do conhecimento aos seus alunos.

Como instituições confessionais, estão abrigadas na Lei de Diretrizes e Bases e reforçam a pluralidade educacional brasileira, objetivada pela lei. Nada disso é novidade, o Mackenzie faz isso desde 1870, com um ensino pautado pelos princípios e valores das Escrituras Sagradas, contabilizando uma imensa contribuição à sociedade desde os tempos do Império. Essa avidez pela excelência de ensino está sendo ampliada, nos últimos anos, com a produção de materiais didáticos próprios.

O Sr. Petry, que na ligação se dizia tão interessado na apuração dos fatos, preferiu me citar seletivamente, omitindo a cobertura global da questão das origens realizada pela Instituição. Além disso, revela sua deficiente pesquisa, não apontando que no próximo mês de abril o Mackenzie apresenta o 2º Simpósio Internacional sobre Darwinismo, ao qual estarão presentes, além de expoentes internacionais da séria escola do Design Inteligente, renomados evolucionistas. Com isso demonstra o acato à pluralidade de ideias e o estímulo ao debate construtivo e saudável, e não a caricatura mal feita que o articulista esboçou em sua coluna. O artigo está muito longe de ser jornalismo saudável e esclarecedor.

Prefere, o Sr. Petry, ridicularizar, classificando em irônica ilação como “macacos tolos” aos que procuram enxergar um pouco mais além e dar continuidade ao ímpeto investigativo. Nunca chamaríamos Darwin de tal, pois foi um ser humano com inteligência, criado à imagem e semelhança de Deus. Petry prefere que a comunidade acadêmica e científica permaneça acorrentada a postulados anacrônicos de 150 anos atrás. Quer o conforto da ignorância de uma era na qual ainda não existiam quaisquer pesquisas possíveis na área de microbiologia, as quais têm exposto um número nada desprezível de fragilidades na teoria da evolução. Demonstra sua ignorância dos diferentes pontos de vista que existem no campo criacionista, com sua definição simplista e monolítica, gerada por ele próprio, e que não foi obtida através desta fonte.

Ridicularizar pessoas e instituições é o seu estilo. Pena que uma revista tão séria, como VEJA, que tantas informações valiosas nos fornece a cada semana, o acolha impunemente em suas páginas. Ele diz que o criacionismo assusta. Ter fé em Darwin é o seu direito. Ter carta branca para difamar, isso sim, é assustador.

Fonte: Criacionismo

NOTA: É lamentável. Uma publicação que se propõe a ser uma das referências editoriais como periódico semanal, nacional, que assume auspícios tão sérios para sí própria, cometer ´deslizes´ graves como este, não só põe sua credibilidade ´em xeque´ como atenua ainda mais o conceito de liberdade de informação, tão combatido por governos oportunistas e ditatoriais que teimam em exisitir (e até expandir) no mundo pós-moderno. Isto, pelo que sei, é tudo pelo que a Veja luta contra. Está, portanto, apontando sua ´artilharia´ para os alvos errados.

Em Cristo Jesus,
Pr. Artur Eduardo

5 comentários:

Juber Donizete Gonçalves disse...

Pr. Artur,

Excelente artigo, onde se refuta as críticas ácidas do sr. Petry. Gostei muito do seu blog e das matérias.

Graça e Paz.

Mayalu Moreira Felix disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Artur Eduardo disse...

Caro Juber,

Obrigado e ´volte sempre´!

[]´s

Pr. Artur Eduardo

Artur Eduardo disse...

Cara Maya,

Creio que você se confundiu... Augusto Nicodemus é uma pessoa, Mauro Meister é outra. Não conheço o sr. Meiser, apenas o sr. Augusto, de uma conferência. Os três escrevem no blog ´O tempora, o mores´.

Sinceramente, lamento pelo fato que você falou... Mas é a aconselho a ´ir mais devagar´ na formulação de algum juízo de valor sobre pessoas, simplesmente porque as mesmas conhecem alguém que foi leviano com você. O mal juízo baseado apenas nisto não se segue, entende? A não ser que haja subsídios para que você afirme tal coisa. Agora, agente desconfia mesmo quando vemos pessoas andando juntas de outras que nós sabemos que são ´árvores de maus frutos´. O que elas fazem demais ali, não é mesmo?

[]´s

Pr. Artur Eduardo

Maya Felix disse...

Pr. Arthur Eduardo,

Uma pessoa que prezo me escreveu por e-mail e me pediu para apagar o comentário acima. Decidi atender o pedido a apaguei o que tinha escrito.

Um abraço,

Maya

Ofertas Exclusivas!!!!