Pesquisar no blog

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Evidências extra-bíblicas impressionantes do êxodo bíblico (VÍDEO)

TRECHO DO EXCEPCIONAL DOCUMENTÁRIO ´O ÊXODO DECIFRADO´, DO CINEASTA JAMES CAMERON, QUE ABORDA AS ANTIGAS E POUCO CONHECIDAS RELAÇÕES ENTRE OS GREGOS, EGÍPCIOS E ISRAELISTAS À ÉPOCA DO ÊXODO BÍBLICO




Pintura encontrada nas paredes da tumba de um comandante egípcio, Khnumhotep II (séc. XIX a.C.). Nela, vemos claramente semitas barbados, com seus animais e utensílios entrando no Egito. Esta ida em massa ao Egito, que resultaria em escravidão anos depois, se deu por causa da fome que assolava as terras de Canaã (atual Israel), na qual os israelitas peregrinavam. Esta época encaixa-se à época bíblica da vinda dos israelitas ao Egito, nos dias em que José, filho de Jacó, neto de Abraão, fora colocado como governador de todo o império egípcio, abaixo apenas do faraó (cf. Gênesis 47:1-6). Aqui há, portanto, é uma evidência inconstestável de que os israelitas habitaram há muito tempo o Egito, vindos da terra de Canaã.



Em 2007, o cineasta James Cameron (ganhador do Oscar) e o diretor Simcha Yacobovich (ganhador do Emmy como diretor de documentários científicos) produziram o controverso "O Êxodo Decifrado", sucesso no mundo todo. O canal The History Channel, um dos mais assistidos no Brasil (tv por assinatura) passou o documentário, cuja repercussão foi extraordinária. Dentre outros pontos polêmicos, Cameron e Yacobovich postulam a idéia de que houve um contato, sim, muito antigo entre os minoanos (gregos) e os egípicios, à época do Êxodo. Suas suposições estão relativamente bem documentadas com as descobertas arqueológicas em sítios próximos ao extinto vulcão de Santorini, na ilha de mesmo nome. Nesta, foi descoberto um mapa (um dos mais antigos do mundo), com uma viagem feita do Egito à Grécia, e o mesmo foi datado dos dias do êxodo bíblico. E mais: Em uma tumba suntuosa, perto de uma colina com formato de pirâmide, arqueólogos acharam untesílios claramente egípcios, de ouro, como espadas e adornos. Outra descoberta extraordinária são as estelas de pedra (algumas no Museu Arqueológico Nacional de Atenas) que, ao que tudo indica, mostram uma sequência de uma das mais célebres passagens do livro do Êxodo: A travessia do mar de juncos (A tradução ´mar vermelho´ ocorre, de fato, de uma má tradução do hebraico ´yam suph´, ´mar de juncos´, pois ´juncos´ em inglês é reed. A tradução para o inglês foi red, vermelho, e daí para o português). Imperdível.


Em Cristo Jesus,
Pr. Artur Eduardo

Um comentário:

Faculdade Teológica disse...

Que Deus continue abençoando seu trabalho e nos edificando com seus post Fica Na Paz!!!!
Abs!
Faculdade Teológica

Ofertas Exclusivas!!!!