Pesquisar no blog

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Resposta ao blog de Antonio Prata, do "Estadão"

O RETRATO DA IGNORÂNCIA MIDIÁTICA E O INCENTIVO INCALTO À SUPRESSÃO DO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO

Um blogueiro do "Estadão", site de onde publico algumas notícias no blog, colocou (logo de "cara"), o comentário de um de seus blogueiros, Antonio Prata, que para mim simboliza o que há de pior na chamada "mídia cinzenta": desinformação, arrogância intelectual e pseudo-conhecimento sobre o que se escreve. Bem, vejamos (na íntegra), quais forasm as palavras de Antonio Prata, a seguir. Aproveito para destacar que vou tentando corrigir o que o blogueiro escreve ( em negrito, vermelho e itálico) mas reconheço não ser tarefa fácil, uma vez que há tanta confusão conceitual e idiossincrasias preconceituosas, posto que já há um fartíssimo material que explica a fundo o porquê da oposição de várias pessoas (não são somente os evangélicos, não!!!) ao PLC 122, que parece ser uma verdadeira perda de tempo tentar refutar o que por si só não se sustenta. Contudo, como há muitas pessoas que, por um motivo ou outro, não têm acesso à completa verdade dos fatos, então explico aos leitores do nosso blog o que precisa ser, sim, corrigido nas palavras do blogueiro do Estadão, que reflete o pensamento de muitos como ele.

Você é a favor da aprovação do projeto de lei (PLC 122/2006) que pune a discriminação contra homossexuais?” Desde que a enquete apareceu no site do senado, faz umas semanas, evangélicos de todo o país iniciaram uma cruzada via internet, pelo direito de ofender pessoas que namoram pessoas do mesmo sexo.

Uma senhora chamada Rosemeire, por exemplo, expondo num blog seu temor de que a lei seja aprovada, disse que vivíamos “O início da Ditadura Gay no mundo!”. Pelo que entendi, Rosemeire acredita que está em curso uma batalha global, travada entre héteros e homossexuais, pela hegemonia na Terra. Hoje, os héteros estão vencendo, mas é só porque têm amparo legal para chamar os gays de viadinhos, as lésbicas de sapatonas e rir das piadas do Juca Chaves. No momento em que passarem a punir quem ofender pessoas que namoram pessoas do mesmo sexo, elas perceberão que chegou a hora, sairão todas correndo da The Week e tomarão o poder. (Não, não, sr. Prata. Este NÃO é o que acreditam os evangélicos - não a sra. "Rosemeire", que vc citou. Os cristãos evangélicos e outros grupos que são contrários à vilipendiação do estado democrático de direito, que é a PLC 122, têm esta posição pelas implicações legais que resultarão da aprovação do projeto em relação ao exercício do cristianismo: criticar uma prática - observe, "uma prática" - será sinônimo, em muitos lugares, de "discriminação" e o resultado será a perseguição).

Imagine só, Rosemeire? Criancinhas terão de cantar Village People, na escola, enquanto assistem ao hasteamento da bandeira do arco-íris. Aos domingos, em vez de futebol, as TVs transmitirão Holiday on Ice e, com dezoito anos, os jovens serão obrigados a alistar-se no exército, fazer flexões de braço, dormir e tomar banho, uns na frente dos outros. Que horror!

Se você acha que Rosemeire exagerou, é porque não leu o blog de Rozângela Justino, cristã, psicóloga e indignada: “Se este Projeto (...) for aprovado, estaremos institucionalizando em nosso país o sistema de castas e todos aqueles que não forem homossexuais serão considerados cidadãos de segunda classe". Uau, Rozângela! O mundo, então, seria governado pela casta das Drag Queens? Um advogado gay, de terno e cabelo curto, seria de uma casta intermediária? E lutadores do Ultimate Fighting, viveriam de esmolas? Bem, talvez não... (Mais uma vez, não, sr. Prata... Parece que, propositalmente, o sr. confundiu de novo: o "mundo" que o sr. criou, com o qual se divertiu, alegando ser um "horror" para os cristãos (evangélicos) só existe em sua mente. Este é o clássico "argumento de palha": na argumentação cria-se um alvo, um ser que o argumentador imagina e repassa aos que o ouvem como se seus opositores de fato cressem que aquele ´alvo´ existe. Este é o "argumento de palha" que, a despeito de seu enorme esforço para que seus leitores pensem que ele existe, sr. Prata, ele só existe em sua mente!! Nenhum cristão - que eu saiba - afirmou ser contra o PLC 122 por um desses esdrúxulos "argumentos" sequer!! Estamos falando de um possível estado verossímel, com perseguições veladas e abertas, como os casos que crescem nos tribunais de várias "democracias-liberais" Ocidente afora. E o sr. como um jornalista trabalhando para um dos maiores sites de informação do Brasil, deveria procurar se informar melhor, sem transparecer o visível preconceito e veio discriminatório que, paradoxalmente, é o mesmo sentimento que afirma combater!!).

Quanta imaginação têm as duas mulheres. Se seus piores pesadelos fossem filmados, seria preciso unir o talento de um Fellini com o de um Clóvis Bornay; juntar, no mesmo caldeirão, George Orwell e Andy Warhol; vislumbrar as ruas de Nova Déli sendo percorridas pela banda de Ipanema. Se bem que... Sei lá. Pensando melhor, talvez o temor de Rosemeire e da Dra. Justino tenha algum fundamento. Veja o caso dos negros: há poucas décadas, todo mundo contava piada racista e eles eram cidadãos de segunda classe. Veio esse papo de igualdade, o que aconteceu? Um mulato chegou a presidente dos Estados Unidos! A batalha racial já está perdida, mas a sexual ainda pode ser ganha! Basta ir ao http://www.senado.gov.br/agencia/default.aspx?mob=0, clicar em NÃO e mostrar a todos que ainda tem gente disposta a lutar por um mundo injusto, desigual e preconceituoso!". (Vil e desprezível, para se dizer o mínimo, é a velha tentativa de tentar equiparar os problemas raciais patentes enfrentados pelos negros norteamericanos e sulafricanos com o PLC 122 e os que querem, a todo custo, que o mesmo passe pelo Senado. Vil, porque os algozes dos negros, não se baseavam em quaisquer preceitos ético-morais religiosos, tornando o argumento, esse sim, uma piada de mau gosto racista! O problema, sr. Prata, era a "raça" em si, e não o que o negro fazia ou deixava de fazer!! O fato de "ser negro" já era, no modus vivendi (principalmente dos países citados), um crime por si só. A questão do PLC 122 perpassa, e muito, quaisquer discriminações a partir do que o ser humano é. Ninguém "nasce" gay, e isto é uma verdade inexorável, a despeito dos gritos altos dos vociferantes defensores do reducionismo genético, muito mais filosófico do que científico. A prática, em si, é passível de críticas, como quaisquer outras práticas. Todos sabem que a heterossexualidade é considerada "normal", pois negar tal assertiva seria um absurdo. Ninguém ousa (ainda) dizer que a heterossexualidade é "anormal", ou para usarmos uma nomenclatura mais adequada, "não-natural". O mesmo não se dá com a homossexualidade, como não se dá com quaisquer formas de sexualidades heterodoxas ao heterossexualismo, como a zoofilia. Afirmar que a zoofilia é "normal" parece um absurdo!... Bem, certamente não é taxativamente "normal". Estamos falando de práticas, não de "raças". Quaisquer práticas SÃO criticáveis, e que se apresente o fundamento daqueles que pensam o contrário. Usar argumentos ad hominen ("os ´crentes´ são retrógrados e estúpidos por pensarem assim"), ad hoc ("isto - o homossexualismo - deve ser certo pois há pessoas que aparentemente demonstram ser muito felizes agindo assim") ou de palha ("os crentes creem que o mundo será governado por homossexuais e que todos terão de ser gays, por isso temos de rechaçá-los a todo o custo") constituem-se, aí sim, em práticas criticáveis, pois não estão sendo honestas no discurso argumentativo. Esses argumentos são falaciosos e servem, em última análise, para se desvirtuar do problema em si: a imposição ditatorial de uma "prática" como certa, sem quaisquer questionamentos a priori, posto que não se poderá sequer pensar na contraposição ao pensamento homossexual. O que se dirá de uma eventual e espontânea mudança de prática, do homossexualismo para o heterossexualismo por exemplo? Ahhh, me esqueci... "não pode", não é sr. Prata?... "Ninguém pode deixar de ser gay", não é? E se o indivíduo foi, por anos, heterossexual, e eventualmente teve experiências homossexuais, então tal indivíduo é homossexual, segundo o que o sr. defende. Mas, se ele sempre teve experiências homossexuais, e decidiu ter experiências heterossexuais, decididamente ele "não" é heterossexual - ou é um homossexual que teve uma "caída" ou é bissexual, nunca heterossexual! Ahhhh, faça-me o favor!......).

É isto... um "viva" à desinformação, sr. Antonio Prata!!

Em Cristo Jesus,
Pr. Artur Eduardo

4 comentários:

Marcos disse...

E que incrível resposta!!! rs
Parabéns, DEUS te abençoe pr.

Oliveira Jr disse...

Prezado Pastor,

seu comentário está recheado de verdades. Esse pessoalzinho metido a besta, que se considera o supra-sumo da sabedoria esquerdista, consegue, no máximo, realçar a própria irrelevância. Quando leio na Bíblia que muitos homens morrerão pelas bestas da terra fico imaginando que bem podem ser por bestas quadradas, tamanha a quantidade delas que já atua na face da terra.
Por coincidência, eu também escrevi um comentário em meu blog sobre o mesmo tema. Postei, também, na seção dos comentários do autor, mas ele não publicou. Se interessar, faça-me uma visita.
http://pensandonacoisa.wordpress.com

Estão iludidos pensando que vão vencer batalhas inexistentes, que eles próprios inventam para dizer que são as vítimas.

Deus o continue abençoando.

Abraços fraternos

Gaspar de Souza disse...

Muito boa a resposta, Artur. É preciso fazer calar estes ímpios com a verdade das Escrituras.

Parabéns, irmão.

Deus continue a te abençoar.

Gaspar

Anônimo disse...

great thing! cipciap cipcipcip

Ofertas Exclusivas!!!!